Pais e mães estão comprando Kits de Alfabetização, qual o perigo disso para as crianças

Cursos com Certificado 360h: Coordenação Pedagógica / Alfabetização / Autismo

Com a pandemia, quem pode gastar na educação das crianças está fazendo esforços, mas será que é realmente necessário?

Ao longo desses 3 meses, estamos sendo borbardeados por materiais prontos, principalmente de alfabetização, ditos completos e formulados para alfabetizar em até 30 dias.

Por preços que vão de dezenas de reais até 300 reais, fazem os pais sonharem “adiantar” os filhos enquanto o resto da turma está atrasada.

Esta não é uma crítica à quem compra, muito menos para quem vende, é apenas uma reflexão. 

Será que as crianças precisam de tantos estímulos assim?

Ou então, será que o tempo “gasto” com a criança ao lado fazendo tarefinhas não poderia ser utilizado como um momento único que o isolamento social proporcionou?

Ou o distanciamento na relação escola/família é tão grande assim que não existe diálogo para solicitar mais material para uma ou outra criança que demande mais conteúdo?

Veja alguns desses materiais abaixo e nos diga o que você achou. 

KIT ACELERA ABC: 297 reais

Liçãozinha: 37 reais

Nós somos à favor desses materiais, que facilitam muito nossas atividades, mas devem ser distribuídas pelos professores, de forma que os pais participem do processo de aprendizado da crianças.

Também sabemos que não adianta nada “adiantar” uma criança se o ritmo de aprendizado será do grupo.

Além disso, uma criança que se sente confortável em um assunto ou acha que já aprendeu em casa, pode se tornar uma criança indisciplinada em sala de aula.

O que você acha? Existe excesso por parte dos pais e teremos consequências na sala de aula?